Boletim Classificador

Acesse

Boletim Eletrônico

Cadastre-se
Busca

Normas de Serviço da Corregedoria - Seção IV - Do Registro Civil fora do Prazo

Seção IV - Do Registro Civil fora do Prazo


49.
As declarações de nascimento feitas após o decurso do prazo legal serão apresentadas ao Oficial competente, nos termos do subitem 32.1. 1
49.1. O requerimento de registro, formulado nos moldes do item 50, será assinado por 2 (duas) testemunhas, sob as penas da lei. 2
49.2. Se a declaração de nascimento se referir a pessoa que já tenha completado doze anos de idade, as testemunhas deverão assinar o requerimento na presença do Oficial, que examinará seus documentos pessoais e certificará a autenticidade de suas firmas, entrevistando-as, assim como entrevistará o registrando e, sendo o caso, seu representante legal, para verificar, pelo
menos:3
a) se o registrando consegue se expressar no idioma nacional, como brasileiro; 4
b) se o registrando conhece razoavelmente a localidade declarada como de sua residência (ruas principais, prédios públicos, bairros, peculiaridades, etc.); 5
c) quais as explicações de seu representante legal, se for caso de comparecimento deste, a respeito da não realização do registro no prazo devido; 6
d) se as testemunhas realmente conhecem o registrando, se dispõem de informações concretas e se têm idade compatível com a efetiva ciência dos fatos, preferindo-se as mais idosas do que ele.7
49.3. Cada entrevista será feita em separado e o Oficial reduzirá a termo as declarações colhidas, assinando-o, juntamente com o entrevistado. 8
49.4. Das entrevistas realizadas o Oficial dará, ao pé do requerimento, minuciosa certidão sobre a satisfação dos elementos aludidos no subitem 49.2. 9
49.5. Em qualquer caso, nas hipóteses dos subitens 49.1 e 49.2, se o Oficial suspeitar da falsidade da declaração, poderá exigir provas suficientes.10
49.5.1. A suspeita poderá ser relativa à nacionalidade do registrando, à sua idade, à veracidade da declaração de residência, ao fato de ser realmente conhecido pelas testemunhas, à identidade ou sinceridade destas, ou a quaisquer outros aspectos concernentes à pretensão formulada ou à pessoa do interessado.11
49.5.2. As provas exigidas serão especificadas em certidão própria, também ao pé do requerimento, da qual constará se foram, ou não, apresentadas.12
49.5.3. As provas documentais, ou redutíveis a termos, ficarão anexadas ao requerimento.13
49.6. Persistindo a suspeita, o Oficial encaminhará os autos ao Juiz Corregedor Permanente. 14
49.7. O Juiz, sendo infundada a dúvida, ordenará a realização do registro; caso contrário, exigirá justificação ou outra prova idônea, sem prejuízo de ordenar, conforme o caso, as providências penais cabíveis.15

50.
Do requerimento constará: 16
a) o dia, mês, ano e lugar do nascimento e a hora certa, sempre que possível determiná-la;
b) o sexo do registrando;
c) o fato de ser gêmeo, quando assim tiver acontecido;
d) seu prenome e seu sobrenome;
e) a ordem de filiação de outros irmãos do mesmo prenome que existirem ou tiverem existido;
f) os prenomes e os sobrenomes, a naturalidade, a profissão dos pais e sua residência atual;
g) os prenomes e os sobrenomes dos avós paternos e maternos;
h) a atestação por 2 (duas) testemunhas, devidamente qualificadas (nome completo, data de nascimento, nacionalidade, estado civil, números de documento de identidade e de inscrição no CPF, profissão e residência).17
50.1. Sempre que possível, o requerimento será acompanhado pela declaração de nascido vivo, expedida por maternidade ou estabelecimento hospitalar. 18
50.2. O requerimento poderá ser realizado mediante preenchimento de formulário, que deverá ser fornecido pelo Oficial. 19
50.3. O Oficial certificará a autenticidade da firma do interessado ou do seu representante legal, lançada no requerimento. 20
50.4. Caso se trate de interessado analfabeto sem representação, será exigida a aposição de sua impressão digital no requerimento, assinado, a rogo, na presença do Oficial. 21
50.5. Se o requerimento for formulado, em hipótese que o permita, pelo próprio registrando, o estabelecimento de sua filiação dependerá da anuência dos apontados pais. 22

51.
Lavrado o assento no livro respectivo, haverá anotação, com indicação de livro e folha, no requerimento, que será arquivado em pasta própria, juntamente com os termos de declarações colhidas e as provas apresentadas. 23

Notas
1 Provs. CGJ 23/1983, 11/2001, L. 6.015/73, art. 46, §1º, Provs. CGJ 25/2005 e 29/2008.
2 Provs. CGJ 23/83, 11/2001, 25/2005 e 29/2008.
3 Provs. CGJ 23/1983, 11/2001, L. 6.015/73, art. 46§1º, Provs. CGJ 25/2005 e 29/2008.
4 Provs. CGJ 23/83 e 29/2008.
5 Provs. CGJ 23/83 e 29/2008.
6 Prov. CGJ 29/2008.
7 Provs. CGJ 23/83 e 29/2008.
8 L. 6.015/73, art. 52, § 2º, Provs. CGJ 23/1983 e 29/2008.
9 Provs. CGJ 23/83 e 29/2008.
10 Prov. CGJ 29/2008.
11 L. 6.015/73, art. 52, §2º, Provs. CGJ 23/1983 e 29/2008.
12 Prov. CGJ 29/2008.
13 Prov. CGJ 29/2008.
14 Prov. CGJ 29/2008.
15 L. 6.015/73, art. 46, §3º, Provs. CGJ 23/1983 e 29/2008.
16 Provs. CGJ 11/2001, 25/2005 e 29/2008.
17 Provs. CGJ 23/1983, 25/2005 e 29/2008.
18 Prov. CGJ 29/2008.
19 Prov. CGJ 29/2008.
20 Prov. CGJ 29/2008.
21 Prov. CGJ 29/2008.
22 Prov. CGJ 29/2008.
23 Provs. CGJ 23/1983, 25/2005 e 29/2008.

Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo
Praça João Mendes, 52 - conj. 1102 - 11º andar - Centro - São Paulo - SP - CEP 01501-000
Fone: (55 11) 3293-1535 - Fax: (55 11) 3293-1539

Nº de Visitas: 117.292.518
Copyright © Assessoria de Comunicação da Arpen-SP