Boletim Classificador

Acesse

Boletim Eletrônico

Cadastre-se
Busca
História da Sede Regional
Localizada na região Norte do Estado de São Paulo, a 420 km da Capital, o Município de Barretos foi um dos primeiros a ser fundado na porção do território paulista delimitada pelos rios Pardo, Turvo e Grande. A ocupação da região começou no início do século XIX, com o deslocamento, a partir de Minas Gerais, dos descendentes dos bandeirantes que, dois séculos antes, haviam partido de São Paulo de Piratininga em busca das minas de Ouro Preto, São João Del Rey, Mariana e tantos outros núcleos urbanos por eles criados. Com os seus 105.000 habitantes, Barretos é sede da 13º Região administrativa do Estado de São Paulo. Possui uma Fundação Educacional e uma associação de Ensino, seis emissoras de rádio, dois jornais diários, uma emissora de televisão e onze agências bancárias.

Com uma economia ainda baseada nas atividades ligadas à agropecuária, num excelente setor de comércio e serviços, Barretos expande o seu parque industrial, com a criação de um pólo tecnológico, e investe no desenvolvimento do turismo, como fatores de geração de empregos, recursos e progresso. A cidade foi considerada a Capital da Pecuária Nacional e é conhecida atualmente como a Capital do Country Brasileiro . A origem da Capital da pecuária nacional devem-se à excelência de suas pastagens, surgida por um acidente da natureza, através de uma forte geada no mês de junho de 1870, queimando por conta da intensidade do frio a fechada mata existente.

Após a geada, no dia 24 de agosto do mesmo ano, dia de São Bartolomeu, a vegetação ressequida foi devorado por um incêndio de grandes porções acabando com a mata fechada existente. Com a chegada da primavera e das chuvas, surgiram imensas pastagens naturais, estabelecendo excepcionais condições para a engorda de gado. Fazendas foram estabelecidas e grande contigente foi atraído pelas possibilidades de ganhos que a atividade pecuária passou a propiciar na região. A melhoria nas condições de transporte permitiram a ocupação acelerada do território e a consolidação de uma rede urbana que continuamente atraia imigrantes.

Em 1909 a ferroviária chegou a Barretos e redimensionou o crescimento da cidade. Entrepostos, depósitos e unidades de beneficiamento de grãos foram construídos. A disponibilidade de transporte eficiente a existência de boas condições para o desenvolvimento e expansão da pecuária permitiram que em 1913 se instala-se na cidade a Companhia Frigorífica Anglo Pastoril. Além de suas instalações industriais foram também construídos uma vila operária e um ramal ferroviário às margens do Ribeirão Pitangueiras. A infra-estrutura de transporte continuou desempenhar importante papel no desenvolvimento econômico que se seguiu.

O asfaltamento da via Washington Luiz e posteriormente a Rodovia Brigadeiro Faria Lima foram fundamentais para a atração de indústrias e novas contingentes migratórios, consolidando não apenas importantes centros urbanos, como Campinas e Ribeirão Preto, mas também centros menores como Barretos. Durante muito tempo Barretos foi o centro da pecuária nacional, ocorrendo aqui os vultuosos negócios graças a quantidade e a excelente qualidade de seus rebanhos levados à mostra nas exposições de animais e produtos derivados tendo como palco o recinto Paulo de Lima Correia Inaugurado no ano de 1945.

A cidade ostentou durante muito tempo um outro título: vitrina da pecuária brasileira. Novas atividades agrícolas foram adquirindo importância durante este processo. Dentre elas destaca-se a heveacultura e a citricultura, que cresceu na região durante as décadas de 60 e 70. Nesse período assistiu-se também a um intenso processo de modernização da agricultura, expandindo-se a produção mecanizada de grãos, especialmente de soja. Nos anos 80 o cultivo de laranja assumiu grande importância e passou a disputar com a cana-de-açúcar a posição de principal produto agrícola regional. Cidade festeira por natureza, Barretos ainda guarda muitos traços de sua cultura caipira, sertaneja e interiorana.

O rico folclore desenvolvido na região tem característica peculiares. A própria fala do Barretense traz um sotaque caboclo, que acabou invadindo a urbanidade aparente. Tradições presentes nas folias de Reis, grupo folclórico, músicas típicas, comida feita no fogão de lenha. Uma terra onde a tradição anda de braços dados com a vanguarda. Atualmente Barretos é conhecida internacionalmente por sediar a festa do peão de boiadeiro. O evento tem hoje grande importância para a dinâmica da economia do município, pois tem permitido o crescimento dos setores ligados ao turismo e à produção de artigos country, com enorme efeito multiplicador em termos de geração de renda e emprego.

Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo
Praça João Mendes, 52 - conj. 1102 - 11º andar - Centro - São Paulo - SP - CEP 01501-000
Fone: (55 11) 3293-1535 - Fax: (55 11) 3293-1539

Nº de Visitas: 126.735.178
Copyright © Assessoria de Comunicação da Arpen-SP