Boletim Classificador

Acesse

Boletim Eletrônico

Cadastre-se
Busca

Clipping – Portal R7 - Fui registrada sem o nome do pai e passo vergonha. Posso corrigir isso?

Publicado em: 07/06/2019
É possível pedir o reconhecimento da paternidade sem custos diretamente nos cartórios; saiba como fazer o procedimento

Resposta: É possível resolver de duas maneiras, explica Marco Aurélio Valota, oficial-substituto do 18º Registro Civil do Ipiranga, em São Paulo: pela via do cartório ou pela via judicial.

A via do cartório é bem mais simples e sem custo, por meio do programa Pai Presente, do Conselho Nacional de Justiça, que visa facilitar o reconhecimento tardio de paternidade e, dessa forma, ajudar a cumprir o direito à paternidade, garantido pelo artigo 226, § 7º, da Constituição Federal de 1988.

"Antigamente era comum registrar pai desconhecido. Hoje é vedado, quando não tem o pai não menciona desconhecido, ignorado, nada. Hoje, com o Provimento nº 16 do CNJ, nem é mais possível fazer isso. Registra-se apenas o nome da mãe", explica Valota.

Como fazer?

Segundo orientações da cartilha do programa Pai Presente, a mãe ou o filho maior de 18 anos que não tiver o nome do pai em sua certidão deve ir a qualquer cartório de registro civil do país e apontar o suposto pai. Para isso, precisa ter em mãos a certidão de nascimento do filho a ser reconhecido e preencher um formulário padronizado.

O cartório enviará o formulário preenchido para o juiz da cidade, que inicia procedimento de investigação de paternidade oficiosa. O juiz solicita ao suposto pai que ele reconheça a paternidade por vontade própria, de forma espontânea. O prazo de finalização deste procedimento geralmente é de 45 dias.


E se o pai se recusa a reconhecer?

Quando o pai se nega a assumir a paternidade ele é chamado em juízo para contestar e fazer o exame de DNA.

"Como o resultado do exame tem 99,9% de acerto, de seu resultado decorrem as responsabilidades, deveres e direitos do pai. Essa é uma prova tão importante no processo que o STJ decidiu, na súmula 301, que caso o pai se recuse a fazer o exame haverá a presunção da paternidade", explica o advogado Danilo Montemurro, especializado em Direito de Família.

O pai pode reconhecer também?
  • Sim. Se o pai quiser reconhecer o filho, ele pode comparar a qualquer cartório do Brasil com cópia da certidão de nascimento do filho a ser reconhecido (mesmo que seja maior de idade) ou com informações de onde ele está registrado.
 
  • O pai entrega uma declaração particular (ou seja, o reconhecimento espontâneo de paternidade escrito em qualquer papel) ou preenche um formulário (modelo de termo escrito) que é disponibilizado pelo próprio cartório.
 
  • A conclusão do procedimento dependerá da concordância desse filho, se maior, ou de sua mãe, caso o filho seja menor.
Saiba mais
Para saber mais informações sobre o Projeto Pai Presente, acesse o portal CNJ

Clique aqui para ver a cartilha ilustrativa com as informações.
 

Fonte: Portal R7
Deixe seu comentário
 
 
947876

Código de Conduta da Arpen-SP


  1. O site da Arpen-SP incentiva o debate responsável. Está aberta a todo tipo de opinião. Mas não aceita ofensas.
    Serão deletados comentários contendo:
    • - Insulto
    • - Difamação
    • - Manifestações de ódio e preconceito
  2. É um espaço para a troca de idéias, e todo leitor deve se sentir à vontade para expressar a sua.
    Não serão tolerados:
    • - Ataques pessoais
    • - Ameaças
    • - Exposição da privacidade alheia
    • - Perseguições (cyber-bullying) e qualquer outro tipo de constrangimento
  3. Por questões de segurança, não serão aceitos comentários contendo comandos, tags ou hiperlinks.
    Se desejar indicar algum site, digite o endereço textualmente.
    Por exemplo: http://www.arpensp.org.br
  4. Incentivamos o leitor a tomar responsabilidade pelo teor de seus comentários e pelo impacto por ele causado: informações equivocadas devem ser corrigidas, e mal entendidos, desfeitos.
  5. O site defende discussões transparentes. Não se dispõem a servir de plataforma de propaganda ou proselitismo, de qualquer natureza.
  6. Dos leitores, não se cobra que concordem, mas que respeitem e admitam divergências, que acreditamos próprias de qualquer debate de idéias.
  7. Ao critério da administração do site, serão bloqueados participantes que não respeitarem este conjunto de regras.

Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo
Praça João Mendes, 52 - conj. 1102 - 11º andar - Centro - São Paulo - SP - CEP 01501-000
Fone: (55 11) 3293-1535 - Fax: (55 11) 3293-1539

Nº de Visitas: 129.387.958
Copyright © Assessoria de Comunicação da Arpen-SP

Recivil - AGU e INSS buscam parceria com o Judiciário para agilizar a comunicação de óbitos entre cartórios e agências

LEIA MAIS