Boletim Classificador

Acesse

Boletim Eletrônico

Cadastre-se
Busca

Artigo - Profissional de TI no cartório: importância, funções, vantagens e desvantagens - Por Joelson Sell 

Publicado em: 12/08/2019
O profissional de Tecnologia da Informação é um personagem que tem ganhado cada vez mais espaço dentro das empresas. Isso porque uma boa estrutura de TI traz grandes benefícios aos negócios, que ganha em organização, eficiência e celeridade. Além disso, esse colaborador especializado auxilia qualquer segmento a se manter atualizado e à frente da concorrência, com dicas do que há de mais novo no mercado, uma vez que a tecnologia avança em velocidade meteórica.
 
Nos cartórios extrajudiciais, a atenção à estrutura tecnológica deve ser dobrada, uma vez que a tecnologia é fundamental para a realização dos atos e para o armazenamento dos dados, e qualquer falha pode prejudicar a rotina e o andamento desses processos. Neste cenário, o setor de TI pode evitar gastos com o vazamento de informações ou com o uso inadequado da internet pela equipe de colaboradores.
 
Outros dois pontos que exigirão dos cartórios uma infraestrutura de tecnologia da informação segura e eficaz – de preferência organizada e mantida por um profissional especializado – é a publicação do Provimento 74/2018 pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que estabelece padrões mínimos de tecnologia da informação para a segurança, integridade e disponibilidade de dados e a publicação da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) – Lei 13.709/2018 - que exigirá ainda mais a presença de profissionais extremamente qualificados.
 
Entre as principais funções do profissional de TI está a de garantir a segurança dos dados e a continuidade dos serviços, realizar auditorias no sistema, apresentar novas tecnologias e realizar a manutenção preventiva dos equipamentos.

Também implementarão e zelarão pelo controle de acesso de navegação dos colaboradores ou proteção contra o salvamento de dados sem permissão. Além disso, irão garantir disponibilidade e estabilidade do ambiente de hardwares e softwares e da segurança virtual das informações, cuidando do armazenamento físico e do caminho que esses dados percorrem para transitar entre os servidores.

Listadas todas as vantagens de se ter um profissional de TI dentro do cartório, pode surgir a dúvida: devo contratar um responsável pela área de TI em período integral ou contratar uma empresa terceirizada? A resposta é: isso depende de muitas variáveis, como tamanho do cartório e número de colaboradores, quantidade de atendimentos ou solicitações mensais e tempo médio para resolução do problema.

A principal vantagem de se manter um departamento no lugar de terceirizar é poder contar integralmente com a dedicação dos profissionais e o conhecimento sobre o ambiente do cartório, o que gera rapidez na solução de problemas e agiliza a produção. Em contrapartida, essa praticidade pode pesar no bolso, pois implica despesas trabalhistas e disponibilização de infraestrutura para instalação da equipe. No entanto, se as demandas forem poucas, manter uma equipe interna pode gerar custos excessivos.

Hoje, é possível terceirizar a equipe de TI parcial ou integralmente, ou seja, é possível ter colaboradores disponíveis em período integral para demandas mais frequentes e terceirizar aqueles que irão solucionar problemas mais específicos e menos frequentes. Por exemplo, é possível contratar desde serviços de manutenção rotineiros até disponibilização de nuvem e segurança dos dados. Dessa forma, pode-se comprar soluções de acordo com as necessidades da serventia e pelo período desejado, o que acaba sendo um excelente custo-benefício.

Outra vantagem em terceirizar, é que o cartório terá sempre uma equipe qualificada e atualizada para lidar com sistemas, equipamentos e softwares, uma vez que a maioria dos profissionais é especializada e treinada de acordo com as demandas. Já o profissional interno deverá ser incentivado a se atualizar e se capacitar constantemente, investindo em cursos e atualizações inerentes ao setor.

Apresentados todos os modelos e seus prós e contras fica mais fácil escolher e manter sua serventia sempre atualizada e eficiente e dentro dos padrões de segurança exigidos pelo CNJ e pela Lei Geral de Proteção de Dados.
 
*Joelson Sell é sócio e fundador da Escriba. Diretor de negócios e expansão. Formado em Gestão Comercial pela UNOPAR.

Fonte: Coluna Escriba
Deixe seu comentário
 
 
801576

Código de Conduta da Arpen-SP


  1. O site da Arpen-SP incentiva o debate responsável. Está aberta a todo tipo de opinião. Mas não aceita ofensas.
    Serão deletados comentários contendo:
    • - Insulto
    • - Difamação
    • - Manifestações de ódio e preconceito
  2. É um espaço para a troca de idéias, e todo leitor deve se sentir à vontade para expressar a sua.
    Não serão tolerados:
    • - Ataques pessoais
    • - Ameaças
    • - Exposição da privacidade alheia
    • - Perseguições (cyber-bullying) e qualquer outro tipo de constrangimento
  3. Por questões de segurança, não serão aceitos comentários contendo comandos, tags ou hiperlinks.
    Se desejar indicar algum site, digite o endereço textualmente.
    Por exemplo: http://www.arpensp.org.br
  4. Incentivamos o leitor a tomar responsabilidade pelo teor de seus comentários e pelo impacto por ele causado: informações equivocadas devem ser corrigidas, e mal entendidos, desfeitos.
  5. O site defende discussões transparentes. Não se dispõem a servir de plataforma de propaganda ou proselitismo, de qualquer natureza.
  6. Dos leitores, não se cobra que concordem, mas que respeitem e admitam divergências, que acreditamos próprias de qualquer debate de idéias.
  7. Ao critério da administração do site, serão bloqueados participantes que não respeitarem este conjunto de regras.

Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo
Praça João Mendes, 52 - conj. 1102 - 11º andar - Centro - São Paulo - SP - CEP 01501-000
Fone: (55 11) 3293-1535 - Fax: (55 11) 3293-1539

Nº de Visitas: 130.741.455
Copyright © Assessoria de Comunicação da Arpen-SP

Clipping – G1 - Cartório de Marília faz mutirões em escolas para facilitar reconhecimento de paternidade

LEIA MAIS