Boletim Classificador

Acesse

Boletim Eletrônico

Cadastre-se
Busca

Arpen/SP promove curso de Apostilamento de Documentos em Registro e reúne mais de 30 pessoas

Publicado em: 30/09/2019
Registro (SP) - A Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo (Arpen/SP) realizou na cidade de Registro, no último sábado (28.09), o curso de aperfeiçoamento teórico e prático sobre Apostilamento de Documentos, ministrado pela diretora regional do Vale do Ribeira, Luana Varzella Mimary Nassaro, para 30 pessoas.


 
Conferência da Haia, conceito do apostilamento, doutrina e normatização, legislação nacional, apostilas realizadas no Brasil de documentos produzidos em território nacional, e apostilas realizadas no exterior para utilização no Brasil, foram os principais tópicos abordados pela diretora.
 
Para iniciar, Luana abordou a Conferência da Haia, convenção que tem como finalidade eliminar a legalização de documentos para que possam ter eficácia nos países que a ela aderirem.

 

“A apostila nada mais é do que a legalização do documento, ou seja, atestar o cargo da pessoa que está assinando aquele documento, ou quando não tem assinatura, o selo com carimbo, pois tem documentos que não tem a assinatura”, declarou.
 
De acordo com a especialista, apostilar é emitir um certificado de autenticidade, nos termos da Convenção da Apostila da Haia, que garanta a procedência de um documento público nacional para ter validade e eficácia no exterior, eliminando o procedimento de legalização.
 
“O efeito de uma apostila é limitado. A apostila só autentica a origem do documento público subjacente, certificando a autenticidade da assinatura no documento, a qualidade em que a pessoa que assina o documento agiu e, quando apropriado, a identidade do selo ou carimbo apostos no documento”, relatou.
 


A diretora também explicou que uma apostila não se relaciona de forma alguma com o conteúdo do documento público subjacente. Enquanto a natureza pública do próprio documento possa implicar que o seu conteúdo é verdadeiro e correto, uma apostila não melhora, nem adiciona qualquer significado ao efeito jurídico.
 
Na sequência, Luana abordou a legislação, ressaltando o Decreto Legislativo nº 148, de 12 de junho de 2015, que aprovou o texto da Convenção sobre a Eliminação da Exigência de Legalização dos Documentos Públicos Estrangeiros, celebrada em Haia, em 5 de outubro de 1961; e o Decreto nº 8.660 de 29 de janeiro de 2016, que promulgou a Convenção.


 
Além disso, também falou da Resolução nº 228 de 2016 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ); do Provimento nº 58 de 2016, que já foi revogado; e do Provimento nº 62 de 2017, que propôs a uniformização dos procedimentos para a aposição de apostila.
 
“A Resolução nº 228 e o Provimento nº 62 são as nossas balizas. Neles, está tudo que a gente pode e não pode fazer. Ainda é muito amplo, e é por isso que nós temos que fazer uma qualificação mais rigorosa. Mas, é o que hoje nós temos de legislação a respeito desse assunto”, comentou.
 
Ao falar sobre doutrina, a diretora elencou alguns tópicos com os motivos que o serviço extrajudicial recebeu a atribuição para realizar o apostilamento, e são eles: independência funcional; responsabilidade pelos atos praticados, fé pública, confiança do CNJ na atribuição dessa atividade; prestação de serviços com eficiência, segurança e celeridade; imagem positiva perante a população; e capilaridade.
 
Luana explicou o passo a passo e cuidados antes de emitir a apostila; os documentos apostiláveis; as espécies de documentos; o que deve ser feito após imprimir a apostila; os erros que podem acontecer e o que fazer; e os procedimentos internos.
 
Na sequência, a registradora aproveitou para dar uma dica aos presentes: “Antes de fazer o apostilamento dos documentos, verifiquem se o país que irá receber essa apostila faz parte da Convenção”. Antes de finalizar, a diretora mostrou alguns casos práticos e decisões da Corregedoria Geral para esclarecer as dúvidas e questões dos participantes.


 
Confira a opinião dos participantes sobre a importância de participar do curso
 
“Entendo que a atividade notarial, por essa questão da capilaridade, vai facilitar muito a tramitação dos documentos. Na verdade, já está facilitando. Trazer essas informações para o interior, acho mais importante ainda porque a maioria dos municípios estão realmente no interior, e os escreventes estão tomando consciência de que eles podem facilitar a vida do usuário dignifica muito mais a nossa atividade”, Cicera Itamar Nobre Friedrich, oficial de Registro Civil e tabeliã de Notas do Cartório de Cajati.
 
“A importância em participar do curso é a aprendizagem e a segurança que a gente vai dar ao transmitir um serviço com as informações que obtemos hoje”, Kleber Cristiano Bento, escrevente substituto do Cartório de Registro Civil e Notas de Pariquera-Açu.


 
“Agregar conhecimentos para sair com o documento perfeito. Como o apostilamento é um assunto novo nós precisamos buscar mais informações para que o serviço não saia errado. Nós temos que fazer um serviço com eficiência, com qualidade e que não venha trazer transtorno nenhum para o usuário do serviço”, Lourival Gama da Silva, tabelião do 1º Tabelionato de Assis.
 
“É muito importante participar porque em Itapeuna nunca tivemos a procura do apostilamento. Então, agrega no conhecimento, porque é só na prática e só depois de fazer o primeiro que vai ficar mais fácil”, Margarida Cunha Moraes, escrivã interina do Cartório de Registro Civil e Notas de Itapeuna.

Fonte: Assessoria de Imprensa
Deixe seu comentário
 
 
803397

Código de Conduta da Arpen-SP


  1. O site da Arpen-SP incentiva o debate responsável. Está aberta a todo tipo de opinião. Mas não aceita ofensas.
    Serão deletados comentários contendo:
    • - Insulto
    • - Difamação
    • - Manifestações de ódio e preconceito
  2. É um espaço para a troca de idéias, e todo leitor deve se sentir à vontade para expressar a sua.
    Não serão tolerados:
    • - Ataques pessoais
    • - Ameaças
    • - Exposição da privacidade alheia
    • - Perseguições (cyber-bullying) e qualquer outro tipo de constrangimento
  3. Por questões de segurança, não serão aceitos comentários contendo comandos, tags ou hiperlinks.
    Se desejar indicar algum site, digite o endereço textualmente.
    Por exemplo: http://www.arpensp.org.br
  4. Incentivamos o leitor a tomar responsabilidade pelo teor de seus comentários e pelo impacto por ele causado: informações equivocadas devem ser corrigidas, e mal entendidos, desfeitos.
  5. O site defende discussões transparentes. Não se dispõem a servir de plataforma de propaganda ou proselitismo, de qualquer natureza.
  6. Dos leitores, não se cobra que concordem, mas que respeitem e admitam divergências, que acreditamos próprias de qualquer debate de idéias.
  7. Ao critério da administração do site, serão bloqueados participantes que não respeitarem este conjunto de regras.

Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo
Praça João Mendes, 52 - conj. 1102 - 11º andar - Centro - São Paulo - SP - CEP 01501-000
Fone: (55 11) 3293-1535 - Fax: (55 11) 3293-1539

Nº de Visitas: 132.081.907
Copyright © Assessoria de Comunicação da Arpen-SP

CONARCI 2019 debaterá CRC Nacional e Identidade Digital

LEIA MAIS