Boletim Classificador

Acesse

Boletim Eletrônico

Cadastre-se
Busca

AL/MT - Projeto orienta mães que decidem, por algum motivo, entregar o filho para adoção

Publicado em: 11/05/2020
Ter ou não ter um filho é uma decisão mais fácil para o homem, que em algumas situações simplesmente desaparecem do mapa. Cabe à mulher decidir o que fazer com a sua gestação. Em orientação às grávidas ou mães que decidirem, por algum motivo, colocar o filho para adoção, o deputado Romoaldo Júnior (MDB) apresentou o Projeto de lei nº 211/2020.

A propositura estabelece normas suplementares à legislação federal sobre a proteção à criança e ao adolescente, de modo que as unidades de saúde públicas e privadas coloquem em seus estabelecimentos placas informativas, de caráter educativo, relativas ao procedimento de adoção. As placas devem ter as seguintes informações: "a entrega de filhos para adoção, mesmo durante a gravidez, não é crime. Caso você queira fazê-lo, ou conheça alguém nesta situação, procure a Vara da Infância e Juventude. Além de legal, o procedimento é sigiloso quanto à identidade das doadoras.

O parlamentar defendeu que a proposta além de orientar as gestantes ou parturientes sobre como proceder, garantindo a elas uma reflexão para que ajam de forma segura, irá evitar que bebês sejam abandonados à própria sorte, no Estado de Mato Grosso.

“Muitas mães acham que é proibido entregar um filho e, acabam abandonando a criança. Por isso, é importante a gente divulgar e esclarecer que o ato é um direito garantido em lei”.

A proposta é um suplemento a Lei Federal n. 8.069/1990 que dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente que estabelece os regramentos sobre o procedimento de entrega de filhos à adoção.

Pelo projeto, os responsáveis pelos estabelecimentos públicos e privados que não cumprirem o dever de colocar as placas informativas, serão multados. As notificações administrativas serão emitidas pelos órgãos oficiais de fiscalização da legislação de proteção à criança e ao adolescente e as multas serão recolhidas aos cofres públicos.

Fonte: Assembleia Legislativa do Mato Grosso
Deixe seu comentário
 
 
959121

Código de Conduta da Arpen-SP


  1. O site da Arpen-SP incentiva o debate responsável. Está aberta a todo tipo de opinião. Mas não aceita ofensas.
    Serão deletados comentários contendo:
    • - Insulto
    • - Difamação
    • - Manifestações de ódio e preconceito
  2. É um espaço para a troca de idéias, e todo leitor deve se sentir à vontade para expressar a sua.
    Não serão tolerados:
    • - Ataques pessoais
    • - Ameaças
    • - Exposição da privacidade alheia
    • - Perseguições (cyber-bullying) e qualquer outro tipo de constrangimento
  3. Por questões de segurança, não serão aceitos comentários contendo comandos, tags ou hiperlinks.
    Se desejar indicar algum site, digite o endereço textualmente.
    Por exemplo: http://www.arpensp.org.br
  4. Incentivamos o leitor a tomar responsabilidade pelo teor de seus comentários e pelo impacto por ele causado: informações equivocadas devem ser corrigidas, e mal entendidos, desfeitos.
  5. O site defende discussões transparentes. Não se dispõem a servir de plataforma de propaganda ou proselitismo, de qualquer natureza.
  6. Dos leitores, não se cobra que concordem, mas que respeitem e admitam divergências, que acreditamos próprias de qualquer debate de idéias.
  7. Ao critério da administração do site, serão bloqueados participantes que não respeitarem este conjunto de regras.

Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo
Praça João Mendes, 52 - conj. 1102 - 11º andar - Centro - São Paulo - SP - CEP 01501-000
Fone: (55 11) 3293-1535 - Fax: (55 11) 3293-1539

Nº de Visitas: 138.052.535
Copyright © Assessoria de Comunicação da Arpen-SP

PORTARIA

LEIA MAIS