Domingo, 26 de Outubro de 2014 - Presidente: Ademar Custódio
E-mail Corporativo Back-up ead Clube de Compras Login com Certificado
  • Arpen-SP
  • Diretorias Regionais
  • Serviços e Projetos
  • Cursos e Eventos
  • Comunicação
  • Legislação
  • Acesso Rápido
  • Links Úteis
  • Eventos
  • Eventos

    Precisa Imprimir um Boleto para pagamento de sua Inscrição?

    Forneça o Nº da Inscrição:

Imprimir
Registro Civil das Pessoas Naturais do 6º Subdistrito da Capital - Brás

  • Oficial: Silvana Mitiko Koti

  • Oficial Substituto: Marli Maria Cruz Lima Oliveira

  • Endereço: Rua Casemiro de Abreu, 586

  • Bairro: Brás

  • CEP: 03013-001

  • E-mail: cartoriodobras@terra.com.br

  • Telefone: (0XX11) 6693 0871/ 2272 

  • Fax: (0XX11) 6291 3629

  • Horário de Funcionamento: De segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, e aos sábados das 9h às 12h.

  • Instalação do Cartório: 1875
  • Serviços: Nascimentos Casamentos, óbitos, Lavratura de Procurações, Reconhecimento de Firmas e Autenticação

  • Links Úteis:

  • ESTE CARTÓRIO CONTA COM O CERTIFICADO DE QUALIDADE DA ARPEN-SP


    Cartório guarda a história da Imigração


     

    Os rastros deles ainda estão por toda parte da antiga Freguesia do Brás. Alemães, iatlianos, portugueses e espanhóis, revivem, principalmente no cartório de Registro Civil das Pessoas Naturais do bairro, a trajetória dos imigrantes que ajudaram a construir com seu trabalho e esforço a cidade de São Paulo, que neste ano comemora os 450 anos de sua fundação.


    "Aqui temos muitos registros de espanhóis, italianos e portugueses", diz a Oficiala Silvana Mitiko Koti, que desde 2000 responde pela serventia. "Como aqui acontecem muitos registros de estrangeiros, os colegas costumam me ligar para esclarecer dúvidas sobre atos que envolvem pessoas de fora do país", completa Silvana.


    Em seus primórdios, grande parte do arquivo do cartório remetia ao registro de imigrantes, principalmente por ter se instalado no bairro, em 1882, a hospedaria do imigrante, local necessário para, com a introdução do trabalho assalariado, até então uma alternativa à mão-de-obra escrava, receber as grandes levas de imigrantes.


    Inicialmente instalado no bairro do Bom Retiro, o local mostrou-se pequeno e com constantes problemas de epidemias, tornando-se inadequado para os fins a que fora designado. Decidiu-se, então, pela construção de instalações que atendessem às necessidades de recepção do grande número de estrangeiros que para cá afluía. Hoje, a hospedaria do imigrante faz parte do conjunto arquitetônico do Memorial do Imigrante, um dos pontos turísticos do bairro. "Já estive lá faz algum tempo e realmente é um local muito bonito. Vale a pena conhecer", diz a Oficiala do cartório do Brás.


    Grávida de cinco meses, a ex-procuradora da autarquia e advogada da Telesp, Silvana Mitiko conta os dias para a chegada de seu segundo filho e confessa ter se adaptado às mudanças ocorridas no bairro nos últimos anos. "O Brás é um bairro muito ativo, com um comércio de confecções muito forte e que atrai pessoas do Brasil inteiro. Por ser um bairro estritamente comercial, poucas pessoas moram aqui, o que faz com que o maior movimento no cartório hoje seja de reconhecimento de firmas e autenticações", explica. No cartório, muitas modificações. Livros restaurados, arquivo microfilmado e instalações novas. Tudo para melhor atender ao público da região.


    Realmente, muitos anos após o surto da imigração e a construção da hospedaria o Brás deixou de ser um bairro residencial e passou a ter no comércio sua grande fonte renda. Na década de 70 com os libaneses e hoje com a predominância de coreanos, que comandam as lojas de confecções. Mas não são eles que frequentam com mais assiduidade o cartório de Registro Civil. "Temos mais registros de bolivianos, que são os que trabalham e moram aqui no bairro. É uma população muito pobre", diz a Oficiala.


    Nos 186 anos do bairro do Brás, o tempo passou. O bairro deixou de ser uma hospedaria residencial para tornar-se um dos comércios mais ativos do centro da cidade. No entanto, segue sendo um pólo de imigrantes que, se hoje já não moram mais na região, continuam frequentando suas ruas movimentadas, exercendo suas atividades e ajudando a construir São Paulo. Tudo devidamente registrado no cartório do Brás. "Gosto muito do Registro Civil por esta importância histórica, a fidelidade dos dados, os traços de perpetuidade que ele mantém", finaliza Silvana.

  • Imagens do Cartório
     
     
     
     

    Brás

    População:
    25.158 hab
    Área: 3,5km2


    História do Brás

    Brás é um pequeno distrito pertencente à subrefeitura da Mooca, região sudeste de São Paulo, com 3,5 km², e que abrange os bairros do Mercado e Hipódromo.Desenvolveu-se em torno da igreja de Bom Jesus do Brás, e era, até o início do século XX, dividida em dois bairros distintos: Brás (mais próximo ao que hoje é o centro de São Paulo), e Marco (abreviatura de Marco de Meia Légua), que ficava na região onde hoje existe a estação Brésser do metrô. Tornou-se no início do século XX uma referência de bairro da comunidade italiana (comemoração da Festa da São Vito), e da comunidade grega (com a Igreja Ortodoxa Grega), com forte presença de indústrias e madeireiras (região da rua do Gasômetro). Com o tempo essas características foram se modificando, com o aumento do contingente de nordestinos na região próxima ao largo da Concórdia, ponto em que operava a estação terminal da Estrada de Ferro Central do Brasil. Atualmente é um bairro essencialmente voltado à indústria e ao comércio de confecções, com forte presença de elementos das comunidades coreana e boliviana.

    Nº de Visitas: 62906676

    arpensp@arpensp.org.br

    Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo

    Praça João Mendes, 52 - conj. 1102 - 11º andar - Centro - São Paulo - SP - CEP 01501-000

    Fone: (55 11) 3293-1535 - Fax: (55 11) 3293-1539