Boletim Classificador

Acesse

Boletim Eletrônico

Cadastre-se
Busca

Mutirão leva documentos para aldeia indígena na zona sul de São Paulo

Publicado em: 18/03/2016
A comunidade indígena de Tenonde Porã, em Parelheiros, na zona sul de São Paulo, recebeu o Projeto Cidadania, Direito de Todos, no último sábado (12/3). O objetivo foi levar aos indígenas que vivem próximo de áreas urbanas documentos essenciais para o exercício da cidadania. A ação uniu esforços do Poder Judiciário, instituições federais, estaduais e municipais, além de outras entidades.
 
Crianças, jovens e adultos formaram filas para tirar seus documentos como carteira de identidade, CPF, carteira de trabalho e certidão de nascimento, com a inclusão do nome indígena e da aldeia. No último evento, em 2013, foram entregues documentação aos índios das aldeias Pyau e Ytu, que compõem a terra Jaraguá.
 
Vivem na aldeia cerca de 260 famílias somando cerca de mil pessoas, entre elas 160 na faixa de 0 a 7 anos e 180, entre 8 a 14 anos, segundo o cacique Elias Honório dos Santos. Ele considera de suma importância a presença das instituições na aldeia, pela dificuldade de irem até a cidade e muitos, os mais velhos, nem falam o português. O cacique convidou as autoridades para apresentação de canto das crianças na Casa de Reza e também para falar um pouco sobre a cultura indígena e iniciativas locais, bem como agradecer por levar o projeto a Tenonde Porã.
 
O juiz Daniel Issler, integrante da Coordenadoria da Infância e da Juventude do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP), agradeceu todos os parceiros que trabalharam para a concretização do projeto. "Cada vez mais queremos expandir a ação. Espero que continuemos ligados e trabalhando para melhorar a vidas das pessoas", afirmou.
 
Técnico indigenista e coordenador técnico local da Fundação Nacional do Índio (Funai) na cidade de São Paulo, Márcio José Alvim do Nascimento salientou a importância da parceria das instituições e disse que a questão indígena sai da esfera federal e abrange a estadual, municipal e a sociedade civil. "Sem vocês, nossos parceiros, não teríamos condições de fazer esse trabalho e prosseguimos irmanados, independentes de partidos, para atender os povos indígenas da melhor maneira possível", disse.
 
Identidade - Os trabalhos iniciavam pelas cópias de documentação e pela fotografia. A prefeitura providenciou uma equipe para tirar e imprimir as fotos. O serviço mais procurado foi o de emissão de identidade, que teve o apoio de 25 funcionários do Setor de Identificação Móvel (SIM), do Instituto de Identificação Ricardo Gumbleton Daunt (IIRGD). A equipe instalou nos computadores da escola da aldeia o Sistema de Identificação Civil para providenciar a carteira de identidade.
 
A iniciativa teve apoio do desembargador Reinaldo Cintra Torres de Carvalho e do juiz Daniel Issler, que já atuaram na equipe do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) quando o projeto foi criado, em 2010, e tiveram participação na criação e na execução do projeto em outros estados, como Amazonas e Mato Grosso do Sul.

Fonte: TJ-SP
Deixe seu comentário
 
 
253238

Código de Conduta da Arpen-SP


  1. O site da Arpen-SP incentiva o debate responsável. Está aberta a todo tipo de opinião. Mas não aceita ofensas.
    Serão deletados comentários contendo:
    • - Insulto
    • - Difamação
    • - Manifestações de ódio e preconceito
  2. É um espaço para a troca de idéias, e todo leitor deve se sentir à vontade para expressar a sua.
    Não serão tolerados:
    • - Ataques pessoais
    • - Ameaças
    • - Exposição da privacidade alheia
    • - Perseguições (cyber-bullying) e qualquer outro tipo de constrangimento
  3. Por questões de segurança, não serão aceitos comentários contendo comandos, tags ou hiperlinks.
    Se desejar indicar algum site, digite o endereço textualmente.
    Por exemplo: http://www.arpensp.org.br
  4. Incentivamos o leitor a tomar responsabilidade pelo teor de seus comentários e pelo impacto por ele causado: informações equivocadas devem ser corrigidas, e mal entendidos, desfeitos.
  5. O site defende discussões transparentes. Não se dispõem a servir de plataforma de propaganda ou proselitismo, de qualquer natureza.
  6. Dos leitores, não se cobra que concordem, mas que respeitem e admitam divergências, que acreditamos próprias de qualquer debate de idéias.
  7. Ao critério da administração do site, serão bloqueados participantes que não respeitarem este conjunto de regras.

Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo
Praça João Mendes, 52 - conj. 1102 - 11º andar - Centro - São Paulo - SP - CEP 01501-000
Fone: (55 11) 3293-1535 - Fax: (55 11) 3293-1539
E-mail: arpensp@arpensp.org.br

Nº de Visitas: 150.349.983
Copyright © Assessoria de Comunicação da Arpen-SP

Gustavo Renato Fiscarelli é nomeado Diretor Regional da Grande São Paulo da Arpen-SP

LEIA MAIS