Boletim Classificador

Acesse

Boletim Eletrônico

Cadastre-se
Busca

Relatório sobre Repercussão Geral pode ser acessado na página do STF na Internet

Publicado em: 21/09/2009
Os interessados em saber mais sobre o tema Repercussão Geral já podem contar com o mais novo serviço no portal de Internet do Supremo Tribunal Federal (STF), que traz um relatório sobre o assunto.

A Repercussão Geral foi criada pela Emenda Constitucional 45/04 e permite ao STF deixar de apreciar recursos que não tenham maiores implicações para o conjunto da sociedade. Com o filtro, a Corte passa a analisar apenas processos que tenham reconhecida relevância social, econômica, política ou jurídica. Ao mesmo tempo, determina que as demais instâncias judiciárias sigam o entendimento da Suprema Corte, evitando o encaminhamento de milhares de processos idênticos ao STF.

Todos os recursos extraordinários que chegam ao STF devem conter uma preliminar de Repercussão Geral. A ausência deste pressuposto pode levar à rejeição do recurso pela Corte. Em votação eletrônica, os ministros analisam se a causa trazida ao STF possui os requisitos da repercussão geral: relevância social, econômica, política ou jurídica. São necessários oito votos, no mínimo, para negar a existência de Repercussão Geral a um recurso extraordinário.

O relatório disponível na página do STF traz um histórico sobre a adoção desta ferramenta, inclusive com os detalhes dos procedimentos praticados nos gabinetes dos ministros para analisar se há repercussão geral em um determinado processo.

O documento também explica o que acontece depois que um processo passa pelo exame de admissibilidade da repercussão geral. No caso de ter sido reconhecida, aguarda-se a decisão do Plenário sobre o mérito do assunto. Neste material há explicações detalhadas sobre as possibilidades de aplicação da Repercussão Geral inclusive com questões práticas quanto ao acompanhamento das decisões de repercussão geral e suas consequências.

São 107 páginas com números e explicações sobre o tema. Além disso, existem dados estatísticos com gráficos que mostram a evolução de julgamentos com repercussão geral. Para facilitar a leitura, o documento, salvo em formato PDF, tem um sumário em que divide por capítulos os temas.

Para consultar o conteúdo, basta acessar na página do STF o link Jurisprudência, opção Repercussão Geral, Relatório da Repercussão.

Fonte: Assessoria de Imprensa
Deixe seu comentário
 
 
761103

Código de Conduta da Arpen-SP


  1. O site da Arpen-SP incentiva o debate responsável. Está aberta a todo tipo de opinião. Mas não aceita ofensas.
    Serão deletados comentários contendo:
    • - Insulto
    • - Difamação
    • - Manifestações de ódio e preconceito
  2. É um espaço para a troca de idéias, e todo leitor deve se sentir à vontade para expressar a sua.
    Não serão tolerados:
    • - Ataques pessoais
    • - Ameaças
    • - Exposição da privacidade alheia
    • - Perseguições (cyber-bullying) e qualquer outro tipo de constrangimento
  3. Por questões de segurança, não serão aceitos comentários contendo comandos, tags ou hiperlinks.
    Se desejar indicar algum site, digite o endereço textualmente.
    Por exemplo: http://www.arpensp.org.br
  4. Incentivamos o leitor a tomar responsabilidade pelo teor de seus comentários e pelo impacto por ele causado: informações equivocadas devem ser corrigidas, e mal entendidos, desfeitos.
  5. O site defende discussões transparentes. Não se dispõem a servir de plataforma de propaganda ou proselitismo, de qualquer natureza.
  6. Dos leitores, não se cobra que concordem, mas que respeitem e admitam divergências, que acreditamos próprias de qualquer debate de idéias.
  7. Ao critério da administração do site, serão bloqueados participantes que não respeitarem este conjunto de regras.

Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo
Praça João Mendes, 52 - conj. 1102 - 11º andar - Centro - São Paulo - SP - CEP 01501-000
Fone: (55 11) 3293-1535 - Fax: (55 11) 3293-1539
E-mail: arpensp@arpensp.org.br

Nº de Visitas: 140.856.806
Copyright © Assessoria de Comunicação da Arpen-SP

PHS questiona criação e extinção de cartórios por atos administrativos

LEIA MAIS