Boletim Classificador

Acesse

Boletim Eletrônico

Cadastre-se
Busca

Cartório de Casa Verde

Registro Civil das Pessoas Naturais do 23º Subdistrito da Capital - Casa Verde


  • Oficial: Marilei Siriani Silva

  • Oficial Substituto: Andréa Maira Siriani Silva

  • Endereço: Av. Baruel, 294

  • Bairro: Casa Verde

  • CEP: 02522-000
  • E-mail: oficio23sp@uol.com.br   

  • Telefone: (0XX11) 3966 0062/ 3857 7729

  • Fax: (0XX11) 3857 9464

  • Horário de Funcionamento: De segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, e aos sábados das 9h às 12h.

  • Instalação do Cartório: 1930
  • Serviços: Nascimentos, Casamentos, Óbitos, Reconhecimento de Firmas, Autenticações e Procurações

  • Links Úteis:

  • ESTE CARTÓRIO CONTA COM O CERTIFICADO DE QUALIDADE DA ARPEN-SP

  •  

    Na Casa Verde, um Cartório voltado para o público

      

    Instalado em 1930, o cartório do 23° Subdistrito da Capital, no bairro da Casa Verde, administrado desde 1985 pela Oficiala Marilei Siriani Silva, poderia ser considerado um cartório fácil de se administrar.Não atende hospitais na região, o bairro é calmo se comparado com seus vizinhos . Limão e Vila Nova Cachoeirinha -, realiza poucos óbitos mensais e seu maior serviço origina-se dos mandados de adoção emitidos pelo Fórum que acaba de se estabelecer no bairro.

    No entanto, o interesse e a vontade de oferecer um serviço ainda melhor à população fazem com que o cartório da Casa Verde procure estar sempre agregando novas melhorias a seu serviço. Foi por este motivo que a Oficiala rapidamente encampou a idéia de ouvir sua população e participar do I Prêmio de Qualidade no Atendimento ao Cliente da Arpen-SP. "Estamos distribuindo o material para os usuários do cartório, com o objetivo de saber em que podemos melhorar para oferecer um serviço ainda melhor", diz Marilei. Natural da cidade de Birigui, no oeste paulista, Marilei Siriani Silva, mãe de quatro filhas, veio com o marido para São Paulo, após passar um tempo atuando como escrevente no cartório do município de Barbosa.

    Assumiu definitivamente a serventia e m 1985 e promoveu grandes mudanças, ganhando inclusive o reconhecimento dos funcionários que, em seu aniversário, prepararam uma grande surpresa com a publicação de duas páginas em um Jornal de grande circulação homenageando sua Oficial.

    Logo ao entrar no cartório, o usuário é atendido por um dos 13 funcionários da serventia, sempre postado ao lado da porta de entrada. A partir daí, o processo para a execução do serviço é muito rápido. Atendido pelo funcionário, o cidadão recebe uma senha e senta-se em um dos bancos fixos o cartório. Lá, aguarda até a chamada de sua senha por um painel digital, dirigindo-se ao caixa para pagar o serviço e receber seus documentos.

    "Procuramos trabalhar com o máximo de agilidade possível. Jamais realizamos atos simples de um dia para o outro. Basta alguns minutos e o cidadão já deixa o cartório com o serviço pronto" diz, satisfeita a Oficiala, que faz questão de destacar a ausência de filas na serventia. "Aqui não tem fila, é algo que não deixamos acontecer", explica.

    Na parte interna prevalece a organização, com mesas e computadores específicos para seus funcionários, um arquivo não muito antigo, mas todos os seus livros restaurados e encadernados e um sistema já avançado de microfilmagem que, após totalizar todos os processos de habilitação de casamentos, já está em fase de cópia dos dados de óbitos. "Aquinão temos muito espaço, então é importante investir na microfilmagem, até como forma de modernização de nosso cartório", diz Marilei.

    Espaço é o que sobre quando trata-se da sala de casamento do cartório. Com uma entrada lateral, onde os nubentes tem amplo acesso por um largo corredor, situa-se a sala de casamentos, coqueluche do cartório, que atrai esportistas e personalidades da região. Finamente decorada, com incrível bom gosto, o salão de celebrações confortável e arejado, ideal para a celebração de matrimônios.

    "Agora estou pensando em ampliar um pouco mais o cartório", diz a Oficiala, apontando para o imóvel ao lado, que já adquiriu. "Só precisa ver se vou ter dinheiro para realizar este investimento", completa Marilei, que nem pensa em abandonar a profissão. "Já tinha tempo para entrar com a minha aposentadoria, mas o cartório é minha vida, adoro este trabalho, tanto que vou de casa para o cartório e do cartório para casa", brinca fazendo trocadilho com o fato de residir na parte superior da serventia.





    Imagens do Cartório










    Casa Verde

    História do Bairro

    Casa Verde é um distrito localizado na região nordeste de São Paulo, preponderantemente de classe média. Ponto de transição entre a região de Santana e da Freguesia do Ó, abriga em seus limites a sede do jornal O Estado de São Paulo. Abrange os bairros de Casa Verde Baixa, Parque Souza Aranha, Jardim das Laranjeiras, Parque Peruche, Vila Baruel e Vila Romero. Conhecida anteriormente sob o nome de Vila Tietê, tornou-se subdistrito, separado de Santana, em 1928. Perdeu parte de seu território, em 1964, para a constituição dos subdistritos de Limão e de Vila Nova Cachoeirinha. Em 1986, toda a configuração de distritos e subdistritos da cidade de São Paulo foi alterada por lei municipal. No início do século XX recebeu um grande número de habitantes que eram escravos e seus descendentes, transferidos de áreas mais próximas ao centro da cidade, o que faz com que a população afrodescendente ainda seja predominante em muitas ruas do distrito.

    Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo
    Praça João Mendes, 52 - conj. 1102 - 11º andar - Centro - São Paulo - SP - CEP 01501-000
    Fone: (55 11) 3293-1535 - Fax: (55 11) 3293-1539

    Nº de Visitas: 128.091.850
    Copyright © Assessoria de Comunicação da Arpen-SP