Boletim Classificador

Acesse

Boletim Eletrônico

Cadastre-se
Busca

Museu / Memorial do Registro Civil

Galeria de Personalidades

Monteiro Lobato
Hebe
Tancredo Neves
Roberto Campos
Regina Duarte
José Serra
Geraldo Alckmin
Gylmar dos Santos Neves
Cafú
Émerson Fittipaldi
Rolim Amaro
Ayrton Senna
João do Pulo
Boris Casoy
Luiz Inácio Lula da Silva (Lula)
Sílvio Santos
Mário Covas
Santos Dumond
Cândido Portinari
Washington Luiz
Mário de Andrade
Ronald Golias
Cássia Kis
Orestes Quércia
Maguila
Benedito Ruy Barboza
João Saad
Adriane Galisteu
Gilberto Barros
Jorge Kajuru
Ana Paula Padrão
Antônio Palocci
José Hamilton Ribeiro
Ignácio de Loyola Brandão
Francisco Cuoco
João Paulo Cunha
Gabriel Chalita
Manoel Costa Manso
Sydnei Sanches
Mohamed Amaro
Dimas Ramalho
Zequinha de Abreu
Ciro Gomes
Gustavo Borges
Christian Fittipaldi
Luiz Pereira
Dudu
José Roberto Guimarães
Escadinha
Cicinho
José Carlos Pace
Robinho
Émerson Leão
Careca
Márcio Thomaz Bastos
Samuel Klein
Cid Moreira
Pagú
Fernanda Venturini
Marcos
Amado Batista
Caio Blat
Sandra Regina Arantes do Nascimento
Osmar Santos
Ana Maria Braga
Chiquinho Scarpa
Roberto Carlos
Tom Cavalcante
Marcelo Tas
Nuno Leal Maia
Ney Latorraca
Reynaldo Gianecchini
Sérgio Reis
Luigi Baricelli
José Celso Martinez
José Martins Fontes
Ruth Cardoso
Euryclides Zerbini
Magic Paula
Tiago Camilo

"Museu do Registro Civil"


Envie certidões de nascimento, casamento ou óbito completas das personalidades registradas em seus cartórios - sem reconhecimento de firma - para a sede da entidade:


Praça João Mendes, 52 - cj.1002 - 10° andar - Cep.: 01501-000 - Centro - São Paulo - SP, aos cuidados de Alexandre Lacerda Nascimento.


Poderão também ser encaminhadas curiosidades ou mesmo preciosidades que os delegados julguem de valor histórico na preservação da história dos cartórios paulistas.

Objetivo principal é o de perpetuar a memória das personalidades e do povo brasileiro demonstrando a importância do Registro Civil das Pessoas Naturais na preservação da história do Brasil.

 

Você sabia que o escritor e poeta Mário de Andrade foi registrado por seus pais com o nome de Raul e só aos 11anos  alterou seu prenome para Mário? Ou então que a certidão de óbito do inventor Santos Dumond aponta colapso cardíaco como causa de sua morte quando todos sabemos que o aviador suicidou-se? Ou ainda que Sílvio Santos chama-se Senor Abravanel? E que personagens como Hebe, Cid Moreira e Ronald Golias eram registrados apenas pelo primeiro nome em sua respectiva época?


Estas são apenas algumas das preciosidades que estão arquivadas nos cartórios de Registro Civil das Pessoas Naturais do Estado de São Paulo e que vão se tornar objeto de exposição pública, cujo objetivo principal é o de perpetuar a memória das personalidades e do povo brasileiro demonstrando a importância do Registro Civil das Pessoas Naturais na preservação da história do Brasil. A iniciativa será ainda um marco na preservação da história dos cartórios de Registro Civil do Estado de São Paulo.


Para isso, a Arpen-SP está solicitando a todos os Oficiais de Registro Civil das Pessoas Naturais do Estado de São Paulo que encaminhem para a Associação certidões de nascimento, casamento ou óbito completas das personalidades registradas em seus cartórios - sem reconhecimento de firma - para a sede da entidade, Praça João Mendes, 52 - cj.1002 - 10° andar - Cep.: 01501-000 - Centro - São Paulo - SP, aos cuidados de Alexandre Lacerda Nascimento. Poderão também ser encaminhadas curiosidades ou mesmo preciosidades que os delegados julguem de valor histórico na preservação da história dos cartórios paulistas.


Com a chegada da Arpen-Brasil a São Paulo, a intenção é estender este museu a âmbito nacional, adquirindo certidões de personalidades nacionais como Getúlio Vargas, Juscelino Kubitschek, Princesa Isabel, Lampião, Tom Jobim, Jorge Amado, Marquesa de Santos, Euclides da Cunha, Tarsilla do Amaral, Nélson Rodrigues, entre tantos outros que fazem parte da história de nosso País.




Neste memorial, serão expostas galerias com os quadros das certidões de pessoas famosas registradas nos cartórios paulistas. Além das certidões serão exibidos perfis das personalidades, fotografia e a imagem do assento no respectivo livro. A Arpen-SP ainda estuda a exposição de certidões em inteiro teor, que dependerá de prévia autorização da Corregedoria Geral, ou mesmo de imagens, que serão retiradas diretamente dos assentos, reproduzindo na íntegra os documentos de valor histórico.




A idéia, mais uma vez pioneiramente empreendida pela Arpen-SP, já rendeu inclusive frutos aos cartórios de Registro Civil, uma vez que sua importância e repercussão chamaram a atenção do Jornal Nacional, que no último dia 27 de julho esteve gravando matéria na sede da entidade, quando o já consagrado repórter Ernesto Paglia esteve entrevistando o presidente da entidade, Antônio Guedes Netto. "Isto que vocês têm aqui é um tesouro! Façam mesmo um museu e conservem esta história", disse o repórter.


Na oportunidade foi tratado ainda a respeito de tema Banco de Dados, com o presidente da Arpen-SP sendo entrevistado sobre a possibilidade que qualquer paulista terá, em breve, de localizar seus assentos de nascimento, casamento e óbitos pela Internet, por meio de uma acesso fácil, rápido e seguro, e que já encontra-se praticamente finalizado na capital paulista.

Eureca


Como toda grande idéia tem um nascedouro, esta não foi diferente. E partiu de um Oficial que sempre se interessou pela história do Brasil. No Distrito de Vicente de Carvalho, no município do Guarujá, o Tabelião e Registrador Civil Joaquim Rodrigues de Castro já colecionava dados referentes ao óbito do aviador Santos Dumond quando, durante visita da Arpen-SP a seu cartório, expôs sua idéia: a criação de um grande museu do Registro Civil para a preservação da história e demonstração da importância dos cartórios na vida da população brasileira.


"Sempre gostei desta função do Registro Civil que é preservar a memória da população brasileira, acho isso essencial para o nosso País", explica Castro. "Com a iniciativa deste museu estaríamos ajudando a preservar a memória da população brasileira", diz o Oficial, ainda gratificado com a exposição de sua idéia em rede nacional,.


Para o presidente da Arpen-SP, Antônio Guedes Netto, a criação de um museu do Registro Civil "destacaria a importância do papel dos cartórios na vida do brasileiro, preservando a memória não só das personalidades, mas de cada cidadão que tem seus documentos principais da vida guardados para sempre em uma serventia". As galerias ficarão em exibição, a princípio, na sede da Arpen-SP e mais tarde deverão ser abertas à exibição pública.


"Vejo esta iniciativa como algo importantíssimo para perpetuar a memória do Registro Civil brasileiro, demonstrando à toda população a importância dos cartórios na preservação da história brasileira", avalia o presidente da Arpen-Brasil, José Emygdio de Carvalho Filho, que sugeriu ainda a exposição na íntegra, mediante autorização da Corregedoria dos assentos em inteiro teor registrados nos cartórios.


Entre as personalidades que já contam com suas certidões em poder da Associação estão políticos como o ex-presidente Washington Luís, Mário Covas, Tancredo Neves, Jânio Quadros, Luiz Inácio Lula da Silva artistas, como Elis Regina, Mário de Andrade, Monteiro Lobato, Regina Duarte, Santos Dumond, esportistas como Ayrton Senna, Émerson Fittipaldi, Cafú, Gilmar, entre muitas outras celebridades.

"Memorial do Registro Civil"


Envie certidões de nascimento, casamento ou óbito completas das personalidades registradas em seus cartórios - sem reconhecimento de firma - para a sede da entidade:


Praça João Mendes, 52 - cj.1002 - 10° andar - Cep.: 01501-000 - Centro - São Paulo - SP, aos cuidados de Alexandre Lacerda Nascimento.


Poderão também ser encaminhadas curiosidades ou mesmo preciosidades que os delegados julguem de valor histórico na preservação da história dos cartórios paulistas.

Qual foi o primeiro registro de nascimento lavrado em cartório no Estado de São Paulo

Qual foi o primeiro casamento lavrado em cartório no Estado de São Paulo

Qual foi o primeiro registro de óbito lavrado em cartório no Estado de São Paulo


Registros "curiosos" e históricos também serão retratados no Memorial.

Curiosidades, registro de escravos e mercadorias do tempo da Abolição da Escravatura e assentos iniciais da história do Registro Civil também serão objetos de exposição.

Nem só de famosos vive uma exposição. Muito menos um museu que poderá estar repleto da mais completa galeria da história do Brasil. Portanto, famosos à parte, a Arpen-SP gostaria de expor em sua galeria certidões que retratassem curiosidades ou mesmo costumes relacionados à época em que foram lavrados e que são encontrados em abundância nos cartórios de Registro Civil do Estado de São Paulo.

Um exemplo são os registros relacionados à época da Abolição da Escravatura, onde são encontrados assentos de nascimentos de filhos de escravos, registrados por seus capitães ou senhores, cuja certidão não só tinha utilidade de documento comprobatório da existência do indivíduo como também dava ao senhor do escravo o certificado de propriedade daquele dado escravo.

Certidões como esta, ou como as que tratavam pessoas como mercadoria em negociações imobiliárias serão motivos de grande atenção da Arpen-SP na galeria que a entidade pretende criar para demonstrar a importância do Registro Civil das Pessoas Naturais na preservação da história do Brasil.

Outro aspecto curioso e que certamente merecerá intensa atenção daqueles que terão acesso à galeria do Registro Civil que está sendo criada pela Arpen-SP são os registros curiosos, ou "engraçados", que muitas vezes expunham pessoas à situações constrangedoras e que hoje estão abolidos pela Lei que não permite o registro de pessoas cujos nomes venham a expô-las ao ridículo, casos de uma senhora registrada com o nome de "Merda", no cartório do 16° Subdistrito da Capital, no bairro da Moóca.

Na pequena cidade de Vera Cruz, localizada na região de Marília, no interior de São Paulo outro dado curioso. Nascido em Gália, o escritor Benedito Ruy Barbosa transformou em novela uma história que aconteceu de verdade. O casamento proibido entre Dashi Haraguchi e Zoraide Mencenga transformou-se na novela "Rei do Gado", com os nomes fictícios das famílias Mezenga e Berdinazzi.

Outro aspecto que será relevante na exposição a ser iniciada pela Arpen-SP serão os documentos históricos do Estado de São Paulo, que marcam o nascedouro do Registro Civil das Pessoas Naturais em São Paulo e que serão memórias vivas da história paulista. Por esta razão, a Arpen-SP gostaria da colaboração dos Oficiais de Registro Civil do Estado, responsáveis por cartórios cujos arquivos sejam antigos, para saber quais os registros de nascimento, casamento e óbito mais antigos lavrados em cartórios no Estado de São Paulo.

Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo
Praça João Mendes, 52 - conj. 1102 - 11º andar - Centro - São Paulo - SP - CEP 01501-000
Fone: (55 11) 3293-1535 - Fax: (55 11) 3293-1539

Nº de Visitas: 113.414.885
Copyright © Assessoria de Comunicação da Arpen-SP