Boletim Classificador

Acesse

Boletim Eletrônico

Cadastre-se
Busca

Cartório do Pari

Registro Civil das Pessoas Naturais do 25º Subdistrito da Capital- Pari

  • Oficial: Moacir Maria dos Santos

  • Oficial Substituto: Sônia Maria Juliani

  • Endereço: Rua Hannemann, 148

  • Bairro: Pari

  • CEP: 03031-040
  • E-mail: reg.civil.pari.sp@terra.com.br  

  • Telefone: (0XX11) 3227-7828 e 3313-4676

  • Fax: (0XX11) 3227-7828

  • Horário de Funcionamento: De segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, e aos sábados das 9h às 12h.

  • Instalação do Cartório: 1934
  • Serviços: Nascimentos, Casamentos, Óbitos, Reconhecimento de Firmas, Autenticações e Procurações.

  • Links Úteis:

  • ESTE CARTÓRIO CONTA COM O CERTIFICADO DE QUALIDADE DA ARPEN-SP
  •  

    Ambiente Familiar e Dedicação no Atendimento

    É no pequeno e tradicional distrito do Pari, localizado próximo do centro de São Paulo, que está instalado o 25º Oficial de Registro Civil de Pessoas Naturais. No bairro, chama a atenção o grande número de atacadistas e indústrias de doces, a Universidade São Francisco, a Associação Portuguesa Desportos e a famosa Paróquia de Santo Antônio.


    Fundado no ano de 1935, o cartório do Pari, teve três denominações: 29ª Zona, 26º Subdistrito, 25º Subdistrito. Hoje, a informatização da serventia e o atendimento rápido, realizado por meio de senhas, proporcionam tranqüilidade e satisfação aos usuários. O seu rico acervo está muito bem organizado, sob critério alfabético, cronológico, onomástico e tipológico. Os sete funcionários que atuam no local procuram manter um bom relacionamento, colaborando para que haja um ambiente familiar no cartório. "Estou sempre presente na serventia e atento a todos os atos que se praticam. Gosto de tratar muito bem todos os meus funcionários", conta o Oficial Moacir Maria dos Santos.


    Por estar situado numa região comercial e de pequena área territorial, o número de registros civis no cartório não é tão grande. A média aproximada é de 20 nascimentos, 15 casamentos e 10 óbitos por mês. Isso não significa que tanto o cartório do Pari quanto o seu oficial não tenham muitas histórias para contar.


    Moacir nasceu em São Paulo e morou durante 14 anos da sua infância no bairro. Começou a trabalhar no cartório do Pari em 1954 como auxiliar, depois em 1958 foi escrevente, em 1974 foi elevado ao cargo de Oficial Maior e no ano de 1983, Oficial Titular, posição em que permanece até a presente data.


    Além disso, Moacir participou três vezes da banca examinadora para exames de escreventes e também da 1ª e 2ª Edição da  "Prática dos Atos de Registro Civil". O Oficial tem em mente fatos muito interessantes sobre o 25º cartório de Pari, onde se casou e onde foram registrados, sua esposa, seus filhos e netos. "Nasci em 1939, na época que ainda chamavam na rua testemunhas para o registro de nascimento. Curiosamente, alguns anos depois, vim descobrir que a minha testemunha foi o meu sogro", contou Moacir .


    Em relação aos tempos recentes, ele não se esquece de agradecer a Arpen-SP por todo trabalho com os registradores. "A Arpen-SP é maravilhosa em todos os sentidos, continuo freqüentando os eventos e reuniões e estou satisfeito por fazer do Conselho Deliberativo", afirmou Moacir.


    Imagens do Cartório









    Pari

    História do Bairro

    O bairro do Pari é mais um "quatrocentão" da cidade de São Paulo. Fica a apenas dois quilômetros do centro da cidade e tem uma história interessante em torno do seu nome: pari era uma cerca de taquara ou cipó, estendida de mar a mar para pescar peixes. No caso, eles eram pescados principalmente nos rios Tietê e Tamanduateí, que ficavam próximos ao atual bairro e eram rios piscosos, próprios para a instalação de "paris". Já no século XX, o Pari ficou conhecido como o "bairro doce" da capital paulista por possuir um comércio intenso e muitas indústrias de doces na região. Apesar de ser um bairro relativamente pequeno (possui 2,75 km²) suas ruas são largas, asfaltadas e algumas ainda possuem vegetação. A Estação ferroviária do Pari, inaugurada em 1867, não era uma estação; era um pátio com linhas para todos os lados encravado no meio do bairro do Pari que auxiliava nas manobras e na estocagem dos materiais que não podiam permanecer na Luz. Está hoje abandonado. Na época em que as linhas da extinta Cantareira ainda existiam (até 1965), o pátio do Pari e o da Cantareira, na rua João Teodoro, não se encontravam por uma distância de cerca de dois quarteirões.

    Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo
    Praça João Mendes, 52 - conj. 1102 - 11º andar - Centro - São Paulo - SP - CEP 01501-000
    Fone: (55 11) 3293-1535 - Fax: (55 11) 3293-1539

    Nº de Visitas: 126.719.217
    Copyright © Assessoria de Comunicação da Arpen-SP