Boletim Classificador

Acesse

Boletim Eletrônico

Cadastre-se
Busca

Ministro Luiz Fux toma posse como presidente do STF e do CNJ para o biênio 2020-2022

Publicado em: 11/09/2020
Em seu discurso, ele ressaltou que é preciso reduzir a judicialização da política e afirmou que não permitirá recuos no combate à corrupção

Nesta quinta-feira (10), durante solenidade de posse na presidência do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para o biênio 2020-2022, o ministro Luiz Fux pontuou cinco eixos de atuação para os próximos dois anos: a proteção dos direitos humanos e do meio ambiente; a garantia de segurança jurídica condizente com a otimização do ambiente de negócios do Brasil; o combate à corrupção, ao crime organizado e à lavagem de dinheiro, com a consequente recuperação de ativos para o País; o incentivo ao acesso à justiça digital e o fortalecimento da vocação constitucional do STF.

A abertura da solenidade foi proferida pelo então presidente da Corte, ministro Dias Toffoli. Na sequência, Fux realizou a leitura e assinatura do Termo de Compromisso. Após a troca de lugares na bancada, a ministra Rosa Weber foi empossada como vice-presidente do STF/CNJ. Ambos foram eleitos para os cargos em junho de 2020.

Segundo Fux, sua gestão até setembro de 2022 vai promover a desjudicialização de temas e “devolver à arena política e administrativa os temas que não competem ao Judiciário”. Ao citar exclusivamente o CNJ, Fux ressaltou a criação do Observatório dos Direitos Humanos, que terá a participação efetiva da sociedade.

“Nos próximos dois anos, será nosso objetivo preservar a dignidade da jurisdição constitucional. A intervenção judicial em temas sensíveis deve ser minimalista, respeitando os limites da capacidade institucional dos juízes. Os poderes Legislativo e Executivo devem arcar com as consequências políticas das suas próprias decisões”, afirmou.

A solenidade contou com a presença dos presidentes da República, Jair Bolsonaro, da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e do Senado Federal, Davi Alcolumbre, e do procurador-geral da República, Augusto Aras. A cerimônia teve poucos convidados presenciais como medida de proteção e segurança sanitária contra a Covid-19.

Leia a íntegra do discurso de posse: http://www.stf.jus.br/arquivo/cms/noticiaNoticiaStf/anexo/DiscursoPosseFux.pdf

Fonte: Assessoria de Comunicação - Anoreg/BR
Deixe seu comentário
 
 
988651

Código de Conduta da Arpen-SP


  1. O site da Arpen-SP incentiva o debate responsável. Está aberta a todo tipo de opinião. Mas não aceita ofensas.
    Serão deletados comentários contendo:
    • - Insulto
    • - Difamação
    • - Manifestações de ódio e preconceito
  2. É um espaço para a troca de idéias, e todo leitor deve se sentir à vontade para expressar a sua.
    Não serão tolerados:
    • - Ataques pessoais
    • - Ameaças
    • - Exposição da privacidade alheia
    • - Perseguições (cyber-bullying) e qualquer outro tipo de constrangimento
  3. Por questões de segurança, não serão aceitos comentários contendo comandos, tags ou hiperlinks.
    Se desejar indicar algum site, digite o endereço textualmente.
    Por exemplo: http://www.arpensp.org.br
  4. Incentivamos o leitor a tomar responsabilidade pelo teor de seus comentários e pelo impacto por ele causado: informações equivocadas devem ser corrigidas, e mal entendidos, desfeitos.
  5. O site defende discussões transparentes. Não se dispõem a servir de plataforma de propaganda ou proselitismo, de qualquer natureza.
  6. Dos leitores, não se cobra que concordem, mas que respeitem e admitam divergências, que acreditamos próprias de qualquer debate de idéias.
  7. Ao critério da administração do site, serão bloqueados participantes que não respeitarem este conjunto de regras.

Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo
Praça João Mendes, 52 - conj. 1102 - 11º andar - Centro - São Paulo - SP - CEP 01501-000
Fone: (55 11) 3293-1535 - Fax: (55 11) 3293-1539
E-mail: arpensp@arpensp.org.br

Nº de Visitas: 140.210.514
Copyright © Assessoria de Comunicação da Arpen-SP

Clipping - Migalhas - Pessoas trans, travestis e transexuais podem usar nome social em processos judiciais no TJ/DF

LEIA MAIS