Boletim Classificador

Acesse

Boletim Eletrônico

Cadastre-se
Busca

Questões práticas relacionadas ao Livro E foram abordadas em live na última quarta (15)

Publicado em: 16/07/2020
Nesta última quarta-feira (15.07), a Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo (Arpen-SP) realizou transmissão ao vivo sobre o tema: “Livro E - questões práticas e aspectos controversos”. A live teve participação de Ana Paula Goyos Browne, mestre em Direito, registradora civil em São Vicente e diretora da Arpen-SP, e Manuela Carolina Almeida Sodré, mestranda em Direito, registradora civil em Araraquara e diretora Regional da Arpen-SP. A mediação do bate-papo foi realizada por Renata Basseto, registradora civil do 1º Subdistrito de Itapetininga.
 
Logo no início da live, a mediadora reforçou a definição e a funcionalidade do Livro E. Trata-se de um livro que possui caráter residual, isto é, serve para acomodar os registros dos atos da vida civil que não se enquadram nos demais livros previamente definidos. A registradora explicou que, ao longo do bate-papo, alguns tópicos específicos relacionados ao Livro E seriam abordados para discussão: registros de união estável, interdição, emancipação, entre outros.
 
A palavra foi passada para a registradora civil em São Vicente, que pôde falar a respeito de questões envolvidas no registro de união estável, realizado no Registro Civil. Browne comentou situações polêmicas e que geram dúvidas no dia a dia dos registradores, expondo seu ponto de vista e reforçando os textos de Enunciados da Arpen-SP, que auxiliam na realização dos atos. A oficial citou, por exemplo, o Enunciado 18, que trata de regime de bens, e o 20, que aborda a possibilidade de se obter habilitação para casamento sem prévia dissolução de registro de união estável.
 
Em seguida, Manuela Sodré trouxe à discussão o tema da interdição e seu registro no Livro E. Ela lembrou que muitas ações neste âmbito foram alteradas após a criação da Lei Brasileira de Inclusão, em 2015, que ampliou a condição de capacidade entre aqueles que possuem algum tipo de deficiência. Um dos tópicos abordados pela registradora civil foi sobre a possível necessidade de fixação de limites de curatela no mandado judicial, tornando a interdição parcial ou total.
 
Como último tema da transmissão, Sodré falou a respeito de questões que envolvem o registro de emancipação, um dos atos atendidos pelo Livro E. Este é o único dos atos que exige, por norma, a assinatura do apresentante no Livro E; no entanto, com a possibilidade de utilização da plataforma e-Protocolo para realização do ato, criou-se o questionamento comum sobre a continuidade dessa necessidade de assinatura. Partindo de uma interpretação sistêmica e atual, a registradora explicou que a assinatura do solicitante no requerimento, em Cartório, já pode suprir a necessidade da assinatura em termo. “As normas precisariam ser adequadas a essas novas circunstâncias que envolvem o ato”, opinou Sodré.
    
Clique aqui e assista à íntegra da transmissão no YouTube da Arpen-SP

Fonte: Assessoria de Imprensa
Deixe seu comentário
 
 
11065

Código de Conduta da Arpen-SP


  1. O site da Arpen-SP incentiva o debate responsável. Está aberta a todo tipo de opinião. Mas não aceita ofensas.
    Serão deletados comentários contendo:
    • - Insulto
    • - Difamação
    • - Manifestações de ódio e preconceito
  2. É um espaço para a troca de idéias, e todo leitor deve se sentir à vontade para expressar a sua.
    Não serão tolerados:
    • - Ataques pessoais
    • - Ameaças
    • - Exposição da privacidade alheia
    • - Perseguições (cyber-bullying) e qualquer outro tipo de constrangimento
  3. Por questões de segurança, não serão aceitos comentários contendo comandos, tags ou hiperlinks.
    Se desejar indicar algum site, digite o endereço textualmente.
    Por exemplo: http://www.arpensp.org.br
  4. Incentivamos o leitor a tomar responsabilidade pelo teor de seus comentários e pelo impacto por ele causado: informações equivocadas devem ser corrigidas, e mal entendidos, desfeitos.
  5. O site defende discussões transparentes. Não se dispõem a servir de plataforma de propaganda ou proselitismo, de qualquer natureza.
  6. Dos leitores, não se cobra que concordem, mas que respeitem e admitam divergências, que acreditamos próprias de qualquer debate de idéias.
  7. Ao critério da administração do site, serão bloqueados participantes que não respeitarem este conjunto de regras.

Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo
Praça João Mendes, 52 - conj. 1102 - 11º andar - Centro - São Paulo - SP - CEP 01501-000
Fone: (55 11) 3293-1535 - Fax: (55 11) 3293-1539
E-mail: arpensp@arpensp.org.br

Nº de Visitas: 149.510.200
Copyright © Assessoria de Comunicação da Arpen-SP

Pedido de Providências - Registro Civil das Pessoas Naturais

LEIA MAIS