Boletim Classificador

Acesse

Boletim Eletrônico

Cadastre-se
Busca

Metrópoles - Maio foi o 3º pior mês em número de mortes desde o início da pandemia

Publicado em: 08/06/2021
Mês registrou 49.282 mortes. Só março e abril tiveram número maior de vidas perdidas para a Covid-19
 
Maio foi o terceiro pior mês em número de mortes por Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, desde o início da pandemia no Brasil.

Quando compara-se a média mensal de óbitos causados pelo novo coronavírus desde a chegada da doença no país (28.787), o mês de maio registrou aumento de 70% no número de vítimas, atingindo a marca de 49.282 mortes.

Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (7/6) pela Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil), com base no Portal da Transparência dos Cartórios de Registro Civil.

“Os números de maio só são melhores quando comparados com os de março e abril desde ano, respectivamente o primeiro e segundo piores meses da pandemia no Brasil, auge da segunda onda da doença que lotou UTIs de hospitais em todo o território nacional”, destaca a associação, em nota.

Na comparação com março, houve uma queda de 34,1% no número de óbitos em maio, enquanto na comparação com abril a retração foi de 31,2%. Em números absolutos, maio registrou 49.288 óbitos causados pelo novo coronavírus, março 74.773, e abril 71.665.

Na comparação com maio de 2020, foi registrado um aumento de 71,9% dos óbitos no Brasil. Em números absolutos foram vítimas em no mês passado frente a 28.667 em maio do ano passado.

Por estado

Na mesma comparação, 18 estados apresentam números maiores este ano, enquanto nove apresentam redução quando comparados ao mesmo período do ano passado.

Estados onde a pandemia demorou mais a chegar são aqueles que apresentam o maior crescimento, como nos casos do Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Minas Gerais.

Os estados da região Sul — Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul — também viram os números dispararem. São Paulo, estado mais populoso do país, e o Distrito Federal também tiveram aumento.

A maior parte das unidades federativas que registraram diminuição está na região Norte, onde a primeira onda da covid chegou. Amazonas, Amapá e Pará tiveram as maiores quedas. O Rio de Janeiro e o Ceará também estão na lista.

Fonte: Metrópoles
Deixe seu comentário
 
 
160516

Código de Conduta da Arpen-SP


  1. O site da Arpen-SP incentiva o debate responsável. Está aberta a todo tipo de opinião. Mas não aceita ofensas.
    Serão deletados comentários contendo:
    • - Insulto
    • - Difamação
    • - Manifestações de ódio e preconceito
  2. É um espaço para a troca de idéias, e todo leitor deve se sentir à vontade para expressar a sua.
    Não serão tolerados:
    • - Ataques pessoais
    • - Ameaças
    • - Exposição da privacidade alheia
    • - Perseguições (cyber-bullying) e qualquer outro tipo de constrangimento
  3. Por questões de segurança, não serão aceitos comentários contendo comandos, tags ou hiperlinks.
    Se desejar indicar algum site, digite o endereço textualmente.
    Por exemplo: http://www.arpensp.org.br
  4. Incentivamos o leitor a tomar responsabilidade pelo teor de seus comentários e pelo impacto por ele causado: informações equivocadas devem ser corrigidas, e mal entendidos, desfeitos.
  5. O site defende discussões transparentes. Não se dispõem a servir de plataforma de propaganda ou proselitismo, de qualquer natureza.
  6. Dos leitores, não se cobra que concordem, mas que respeitem e admitam divergências, que acreditamos próprias de qualquer debate de idéias.
  7. Ao critério da administração do site, serão bloqueados participantes que não respeitarem este conjunto de regras.

Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo
Praça João Mendes, 52 - conj. 1102 - 11º andar - Centro - São Paulo - SP - CEP 01501-000
Fone: (55 11) 3293-1535 - Fax: (55 11) 3293-1539
E-mail: arpensp@arpensp.org.br

Nº de Visitas: 147.055.686
Copyright © Assessoria de Comunicação da Arpen-SP

Brasil de Fato - Média de mortes por covid cresceu 70% em maio, segundo cartórios brasileiros

LEIA MAIS