Boletim Classificador

Acesse

Boletim Eletrônico

Cadastre-se
Busca

Arpen-Brasil participa de debate sobre sub-registro no 5° Fonacor

Publicado em: 25/06/2021
Entidade defende que universalizar a garantia da renda mínima para os registradores de pessoas naturais é uma das saídas para combater o problema
  
A Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil) participou do 5º Fórum Nacional das Corregedorias (Fonacor), que ocorreu de forma virtual nos dias 21 e 22 de junho. Dentre os diversos temas abordados, o encontro propôs a mobilização das corregedorias para o enfrentamento do sub-registro de nascimento no Brasil.
 
No evento, o presidente da Arpen-Brasil, Gustavo Renato Fiscarelli, apresentou as dificuldades que envolvem os cartórios de todo o país em relação tema. De acordo com Fiscarelli, a falta de condições econômicas de muitas serventias deve ser considerada como um problema a ser solucionado para que o combate seja efetivo.
 
No levantamento feito pela Arpen-Brasil com mais de mil titulares de cartórios de registro civil do Brasil, 152 atribuíram à ausência de maternidade interligada ao Sistema Nacional de Informações de Registro Civil (Sirc) uma das seis principais causas que contribuem para o sub-registro de nascimento.
 
Outra pesquisa da entidade revelou que alguns estados pagam aos cartórios um pouco mais de R$ 1 mil mensais para assegurar a manutenção do serviço de registro civil. “Não podemos ter registradores que não estejam amparados por cobertura econômica mínima. Precisamos de uma coordenação nacional para que haja um fortalecimento da teia-cidadã que é o sub-registro civil”, completa Fiscarelli.
 
Embora não existam estatísticas precisas, estima-se que, das 2.968.736 crianças que nasceram em 2018, pelo menos 23 mil não receberam certidão de nascimento nos primeiros 15 meses de vida. O número de crianças sem documentos, no entanto, pode chegar a 70 mil entre as nascidas naquele ano, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
 
Bons exemplos
 
A Corregedoria-Geral do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJ/MA) realiza uma série de esforços institucionais para aumentar o percentual de registros civis dos recém-nascidos no estado. O coordenador da ação e corregedor-geral de Justiça, desembargador Paulo Velten, tratou do conjunto de iniciativas no segundo dia do 5º Fonacor.
 
As ações abrangem desde a criação da Semana Nacional de Mobilização contra o Sub-registro, que faz as instituições do sistema de justiça dialogarem em busca de soluções para o problema, passam pela instalação de unidades de registro interligadas e até por ações mais práticas, como a extinção da exigência de um mínimo de 300 partos realizados por ano para justificar a criação da unidade.
 
Velten recordou que, ao assumir a Corregedoria, alguns municípios tinham taxas de sub-registro civil superiores a 50%, como Belágua, Codó e Pinheiro. “Por outro lado, 98% das crianças maranhenses nasciam em hospitais. Se elas nascem em hospital, percebi a falta de coordenação entre os poderes Executivo (estadual e municipais) e Judiciário. Aí vimos necessidade de virar agência regulatória do registro civil, como somos hoje”.
 
Metas
 
Entre as propostas de diretrizes estratégicas está a de conferir efetividade ao Provimento n. 81/2018 da Corregedoria, a fim de universalizar a garantia da renda mínima para os registradores de pessoas naturais. Essa ação visa promover o equilíbrio econômico-financeiro das pequenas serventias que são deficitárias, buscando garantir a qualidade da prestação de serviço público e a capilaridade, em âmbito nacional, dos ofícios da cidadania.

Fonte: Assessoria de Comunicação - Arpen-Brasil
Deixe seu comentário
 
 
307085

Código de Conduta da Arpen-SP


  1. O site da Arpen-SP incentiva o debate responsável. Está aberta a todo tipo de opinião. Mas não aceita ofensas.
    Serão deletados comentários contendo:
    • - Insulto
    • - Difamação
    • - Manifestações de ódio e preconceito
  2. É um espaço para a troca de idéias, e todo leitor deve se sentir à vontade para expressar a sua.
    Não serão tolerados:
    • - Ataques pessoais
    • - Ameaças
    • - Exposição da privacidade alheia
    • - Perseguições (cyber-bullying) e qualquer outro tipo de constrangimento
  3. Por questões de segurança, não serão aceitos comentários contendo comandos, tags ou hiperlinks.
    Se desejar indicar algum site, digite o endereço textualmente.
    Por exemplo: http://www.arpensp.org.br
  4. Incentivamos o leitor a tomar responsabilidade pelo teor de seus comentários e pelo impacto por ele causado: informações equivocadas devem ser corrigidas, e mal entendidos, desfeitos.
  5. O site defende discussões transparentes. Não se dispõem a servir de plataforma de propaganda ou proselitismo, de qualquer natureza.
  6. Dos leitores, não se cobra que concordem, mas que respeitem e admitam divergências, que acreditamos próprias de qualquer debate de idéias.
  7. Ao critério da administração do site, serão bloqueados participantes que não respeitarem este conjunto de regras.

Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo
Praça João Mendes, 52 - conj. 1102 - 11º andar - Centro - São Paulo - SP - CEP 01501-000
Fone: (55 11) 3293-1535 - Fax: (55 11) 3293-1539
E-mail: arpensp@arpensp.org.br

Nº de Visitas: 148.282.061
Copyright © Assessoria de Comunicação da Arpen-SP

Pedido de Providências - Registro Civil das Pessoas Naturais

LEIA MAIS