Boletim Classificador

Acesse

Boletim Eletrônico

Cadastre-se
Busca

AL/SP - Ato solene debate propostas voltadas à agilidade no processo de adoção de crianças

Publicado em: 15/12/2020
Um ato solene realizado na manhã desta segunda-feira (14/12) discutiu políticas públicas voltadas à celeridade no processo de adoção de bebês em São Paulo. O encontro, realizado em ambiente virtual, foi presidido pela deputada Janaina Paschoal (PSL) e contou com a participação de autoridades estaduais e nacionais.

Para Ângela Gandra, secretária nacional da Família, o desejo de agilidade no processo de adoção é algo louvável. "Levar essa preocupação adiante é importante para discutir o tema, porque o processo de adoção é muito difícil e é objeto de luta há muito tempo", disse.

Na ocasião, os participantes debateram a minuta de um projeto de lei que deverá ser protocolado na Alesp, o qual prevê que toda família que estiver na fila da adoção, no Estado de São Paulo, poderá funcionar como família acolhedora, desde que esteja ciente da possibilidade de a criança voltar para a família biológica.

O texto estabelece ainda que a família acolhedora deverá ter prioridade para ficar com a criança, caso ela fique disponível para adoção.

Autora da proposta e organizadora do evento, a deputada Janaina Paschoal (PSL) explicou que tentou escrever um projeto que privilegiasse o encontro de almas, que abrisse as portas para oportunidades e que respeitasse a legislação federal.

"Entre idas e vindas, as crianças ficam anos em situação de conflito e acabam envelhecendo em abrigos ou passando de família em família. A ideia é que as pessoas preparadas, que tenham recebido uma criança temporariamente, possam ficar com elas caso, no fim do conflito, o menor não volte para a família biológica e a Justiça decida pela adoção", afirmou.

O deputado Delegado Olim (PROGRESSISTAS) considerou a proposta importante porque deverá ajudar as crianças paulistas. "Se as crianças estão na fila de adoção, por que não as deixar com a família acolhedora que já tem algum vínculo? Acho que essa minuta de projeto é inteligente e temos de brigar pela aprovação dessa proposta", afirmou.

Além dos já citados, também participou do ato solene a deputada Adriana Borgo (PROS).

Fonte: Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo
Deixe seu comentário
 
 
882634

Código de Conduta da Arpen-SP


  1. O site da Arpen-SP incentiva o debate responsável. Está aberta a todo tipo de opinião. Mas não aceita ofensas.
    Serão deletados comentários contendo:
    • - Insulto
    • - Difamação
    • - Manifestações de ódio e preconceito
  2. É um espaço para a troca de idéias, e todo leitor deve se sentir à vontade para expressar a sua.
    Não serão tolerados:
    • - Ataques pessoais
    • - Ameaças
    • - Exposição da privacidade alheia
    • - Perseguições (cyber-bullying) e qualquer outro tipo de constrangimento
  3. Por questões de segurança, não serão aceitos comentários contendo comandos, tags ou hiperlinks.
    Se desejar indicar algum site, digite o endereço textualmente.
    Por exemplo: http://www.arpensp.org.br
  4. Incentivamos o leitor a tomar responsabilidade pelo teor de seus comentários e pelo impacto por ele causado: informações equivocadas devem ser corrigidas, e mal entendidos, desfeitos.
  5. O site defende discussões transparentes. Não se dispõem a servir de plataforma de propaganda ou proselitismo, de qualquer natureza.
  6. Dos leitores, não se cobra que concordem, mas que respeitem e admitam divergências, que acreditamos próprias de qualquer debate de idéias.
  7. Ao critério da administração do site, serão bloqueados participantes que não respeitarem este conjunto de regras.

Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo
Praça João Mendes, 52 - conj. 1102 - 11º andar - Centro - São Paulo - SP - CEP 01501-000
Fone: (55 11) 3293-1535 - Fax: (55 11) 3293-1539
E-mail: arpensp@arpensp.org.br

Nº de Visitas: 144.394.203
Copyright © Assessoria de Comunicação da Arpen-SP

Recivil - Projeto estabelece que gênero é igual ao sexo biológico ao nascer

LEIA MAIS